Por Jorge Pessoa e Silva

Depois da vitória fácil com o Chade, Angola tem hoje, às 18 horas de Luanda, o primeiro grande teste à sua qualidade, ao seu reinado e à sua ambição. O adversário é o Senegal, uma das mais fortes equipas que vão disputar o Afrobasket.

É verdade que esta selecção teve vários azares com lesões e faltam alguns jogadores importantes, com Boniface Ndong – que já passou pela NBA e joga no poderoso Barcelona, de Espanha – à cabeça.

Também é verdade que, nos últimos anos, o Senegal não tem tido tanto destaque como no passado, mas também não deixa de ser uma equipa poderosa.

O Senegal já venceu o Afrobasket por cinco vezes: 1968, 1972, 1978, 1980 e 1997. Em tom de aviso, foi a única selecção a quebrar a hegemonia que Angola soube construir a partir de 1989, já que em 1997 pôs fim a um ciclo de quatro títulos consecutivos.

No jogo com Marrocos, o Senegal venceu por 79-65, mas ao intervalo perdia por 39-43. Na segunda parte, os senegaleses surpreenderam Marrocos com um sistema defensivo de pressão a todo o campo. E o certo é que os marroquinos apenas conseguiram fazer 22 pontos na segunda parte. À atenção de Michel Gomez. É certo que aquele sistema colhe mais proveitos quando surpreende o adversário, mas Angola tem de estar preparada para reagir a qualquer surpresa.

Outro aspecto importante reside na questão motivacional. Não nos iludamos: os jogadores do Senegal até vão comer… o soalho para ganharem à nossa Selecção.

«Angola ganhou muitos títulos nas duas últimas décadas e o nosso maior objectivo é pôr um ponto final nisso. Apesar de nos faltarem dois ou três jogadores muito importantes, continuamos a ser fortes e a ter os mais altos objectivos. Queremos fazer brilhar o basquetebol do Senegal», comentou Babacar Touré, um dos jogadores senegaleses.

Angola já sabe que qualquer adversário entrará em campo como se fosse a final de uns Jogos Olímpicos ou Mundial. É o preço a pagar por tantos títulos.

O que esperar de Angola? Muita vontade, muita concentração, muita competência. E muito… coração.

A Bola