Etiquetas

, , , , , ,


Luanda – O músico angolano Artur Adriano morreu hoje, sábado, numa unidade hospitalar da capital do país, Luanda, vítima de doença, avançou à Angop o secretário-geral da União Nacional dos Artistas e Compositores Angolanos (UNAC), Belmiro Carlos.

Belmiro Carlos não especificou a doença de que padecia o autor de “Kalunga” e outros diversos sucessos que marcaram a musicalidade das décadas de 1960 e 70.

Artur Adriano nasceu a 17 de Dezembro de 1947 no bairro Marçal, em Luanda. Fez parte do agrupamento Kissanguela, em 1974, que culminou com a gravação da canção “Povo com Neto”, em 1976, uma composição em homenagem ao poeta Agostinho Neto.

Enquanto músico, Artur Adriano dividiu estúdios e palcos com os Kiezos, Gingas, Anazanga, Águias-reais, Musangola e Ndimba Ngola.

Artur Adriano já foi homenageado pela importância histórica e cultural da sua obra, no dia 27 de Março de 2005, na 35ª edição do programa Caldo do Poeira, da Rádio Nacional de Angola, em acto realizado no Centro Recreativo e Cultural Kilamba. Na ocasião, foi lançado o CD “Memórias de Artur Adriano”, um trabalho discográfico referencial da carreira do cantor, que inclui as canções: “Belita”, “Santa”, “Kalunga”, “Povo com Neto”,

“Ndoce yá Lelé”, “Nvula”, “Carnaval”, “São Saravante”.

Artur Adriano arrebatou, em 2005, o prémio Semba de Ouro, num concurso realizado pela União Nacional de Artistas e Compositores , tendo sido distinguido com o Diploma de Honra, na categoria pilares da música angolana, pela mesma agremiação, no dia 30 Setembro de 2011, “pelo seu contributo para o desenvolvimento da Música Popular Angolana”.

Angop



Bruno Space Painel de Debates



Bruno Space Painel de Debates