Tags

, , , , , , , ,


Por Mário Nóbrega

Evandro Brandão sempre quis jogar em Angola. Mas nem o próprio julgava que seria agora. O avançado, de 22 anos, deixou o Tondela, da Liga 2 portuguesa e assinou pelo Recreativo do Libolo.

O internacional sub-20 por Portugal vai direto para o estágio da formação do Calulo no Algarve, na próxima semana e vê no Libolo uma das maiores oportunidades da carreira.

«Nem eu esperava que este convite chegasse tão cedo. Mas não podia recusar esta oportunidade. O Libolo é um clube histórico em Angola e coleciona títulos. Espero ser um jogador importante e conquistar troféus pelo clube», afirmou Evandro Brandão, a A BOLA.

O avançado nasceu em Angola, mas fez quase toda a formação em Inglaterra, entre Walsall e Manchester United.
Em Portugal ainda jogou nos juniores do Benfica e esteve uma época no Videoton, da Hungria. Evandro Brandão já conhecia Miller Gomes e acompanhou o crescimento do atual treinador da formação do Calulo. Foi o próprio Miller Gomes quem desafiou o atacante para tentar uma aventura em Angola.

«Joguei contra Miller Gomes quando estava no Olhanense e ele no Petro. Falou-me em ir jogar para Angola e nasceu o interesse nesse momento. Existem vários jogadores portugueses que estão a partir para Angola. Agora é a minha vez», sublinhou Evandro Brandão.

No Calulo, o jovem Evandro Brandão será colega de João Tomás, de 38 anos, um dos avançados mais experientes do Girabola e com carreira consolidada em Portugal. Quando João Tomás brilhava no Benfica, o reforço do Recreativo Libolo tinha apenas nove anos. Para Evandro Brandão, mais do que concorrência, João Tomás pode ser professor.

«Jogo na posição dele, mas também posso alinhar numa das alas. Eu vejo tudo pelo lado positivo. Espero que o João Tomás me ensine e ajude a crescer. Adorava jogar ao lado dele», referiu Evandro Brandão.

Até pela ligação a Angola, o avançado sempre acompanhou o Girabola. A evolução do campeonato angolano tem entusiasmado o internacional sub-20 português.

«O CAN deu outras condições de trabalho aos clubes. Existem cada vez mais jogadores a ir para Angola e isso obriga os jogadores angolanos a melhorar. Daqui a uns anos, o Girabola será um campeonato de que se falará muito», explicou Evandro Brandão

 

Clica aqui Últimas Notícias