Tags

, , ,


Bruno Space Painel de Debates

Amena Khan começou a fazer vídeos com dicas sobre o uso dos hijabas, lenços usados pelas muçulmanas, feitos por ela mesma. A primeira aparição da inglesa na internet aconteceu em 2009, e, um mês, começou a receber pedidos de mulheres interessadas em comprar seus produtos. A paixão acabou virando profissão e, hoje, Amena está à frente da loja virtual Pearl Daisy, que vende acessórios, roupas e, claro, hijabas. Em entrevista ao blog Mosaic, ela conta que actualmente seus produtos são produzidos por uma equipe de 8 pessoas, além de profissionais terceirizados.

 

Amena tem uma legião de fãs: no seu canal do Youtube, são quase150 mil seguidores Foto: Amena Khan/Facebook / Reprodução
Amena tem uma legião de fãs: no seu canal do Youtube, são quase150 mil seguidores

Foto: Amena Khan/Facebook / Reprodução

 

Amena tem até mesmo uma legião de fãs: no seu canal do Youtube, são quase150 mil seguidores e, no Facebook, cerca de 230 mil na página da sua loja virtual. “A fanpage se tornou uma rede fantástica de mulheres com interesses comuns em moda e causas femininas”, disse.

 

Mas o tema “moda” não é o único que está na pauta da inglesa. Posts sobre temas mais pesados, como estupro e mutilação genital feminina, atraem milhares de curtidas e, com isso, ela espera inspirar outras mulheres. “Como muçulmana, o Islã me encoraja a contribuir positivamente com a sociedade.”

 

Amena também se mostrou crítica com relação aos estereótipos ligados às mulheres muçulmanas e, na entrevista, disse o tipo de visão que mais a incomoda. “Que somos oprimidas. Acho que o termo é mal utilizado com muita frequência. E também que sofremos alguma forma ‘lavagem cerebral’”, afirmou, acrescentando que, geralmente, ri dessa ironia.

 

Ela também falou sobre como é a vida de uma mulher muçulmana vivendo no Reino Unido. “Sou mãe, esposa e dona do meu próprio negócio. A vida é agitada!” brincou e contou sobre os planos para a empresa. “Estou trabalhando no desenho de roupas e acessórios, entre outras surpresas”.

Terra

Saiba tudo sobre ANGOLA

Clica aqui Últimas Notícias