Tags

, , , , , ,


Lateral desaprova brasileiro, zagueiro merengue que se naturalizou português e vai
defender Portugal na Copa do Mundo. Assista ao “Na Estrada com Galvão” domingo

Por Sidney GaramboneRio de Janeiro

Daniel Alves (Foto: Sidney Garambone)Daniel Alves em entrevista em Barcelona antes do episódio do racismo (Foto: Sidney Garambone)

A volta do quadro  “Na Estrada com Galvão” neste domingo, no Esporte Espetacular, tem novidades e polêmica. Galvão Bueno foi até Barcelona e depois até Juazeiro, na Bahia, para mergulhar na vida e na alma de Daniel Alves. A entrevista que vai ao ar neste fim de semana foi realizada antes do episódio da banana lançada pela torcida no lateral durante o jogo entre Villareal e Barcelona, pelo Campeonato Espanhol. No entanto, por ele ser alvo recorrente de racismo, o tema também foi abordado no papo com o narrador da TV Globo.

Ao receber a equipe, ele avisou.

– Deve ser a primeira vez e última que faço uma entrevista na minha casa.

Os motivos? Ficaram com o jogador do Barcelona, mas ele se soltou. Daniel garantiu que Cristiano Ronaldo não é marrento, que adoraria ter o craque e astro do rival Real Madrid atuando em seu time. Porém, não escondeu a desaprovação a outro jogador do clube merengue, o brasileiro naturalizado português Pepe. O lateral-direito não apenas ironizou a opção do jogador de defender outra seleção, como deixou claro que o seu jeito de atuar não o agrada. Educadamente, sugeriu que o rival não é leal em campo. Sobre Copa do Mundo, Daniel assumiu desejo de reencontrar a Holanda nas oitavas de final, para se vingar da eliminação em 2010.

ORIGENS NA BAHIA

O jogador falou de suas origens na cidade de Juazeiro, na Bahia, da disputa clubística que trava com o pai Domingos, palmeirense doente e que pediu, no ar, para o filho encerrar a carreira no Palestra Itália. Daniel, no entanto, disse ser são-paulino. Durante a entrevista, houve visita à cozinha da casa para bater um papo com o chef capixaba contratado para ocasiões especiais, João Alcantara. Ele explicou a receita da moqueca capixaba-baiana e falou dos gostos de Daniel. Como o assunto era culinária, Galvão brincou dizendo que almoçou duas vezes: uma em Barcelona e outra no Rei do Caldo, em Juazeiro, embaixo da ponte que liga Bahia e Pernambuco, para provar o “Podrão”, prato preferido do lateral-direito da seleção brasileira quando volta para casa.

Galvão Bueno e Daniel Alves (Foto: Sidney Garambone)Galvão Bueno e Daniel Alves (Foto: Sidney Garambone)
Galvão Bueno pais Daniel Alves (Foto: Sidney Garambone)Galvão Bueno pais Daniel Alves (Foto: Sidney Garambone)

RACISMO HÁ 11 ANOS

Sem ter a menor ideia de o que o assunto voltaria à tona com sua participação alguns dias depois da entrevista, Daniel deu uma longa resposta sobre o racismo no futebol, antevendo o que ele faria no jogo em que fosse tratado com diferença, como aconteceu na partida contra o Villareal. O jogador é contra dar destaque aos racistas, acha que o melhor a fazer é ignorar e não se rebaixar ao nível deles. Considera também que atitudes no futebol precisam ser bem estudadas, porque há 11 anos sofre com isso na Espanha, mas acha que o mesmo torcedor que o chama de macaco não faria isso fora do estádio. Ele teme exageros e generalizações.

SEMPRE NA MODA E A VIDA EM BARCELONA

Daniel também contou a Galvão a sua vida na Espanha. No fim do papo, uma conversa descontraída sobre estilo, seu gosto “fashion”, do amor pelos chapéus e dos segredos para chegar aos jogos da Seleção sempre na moda. Não perca, é domingo, no Esporte Espetacular!

O último episódio da série Ayrton Senna do Brasil será exibida neste domingo. Os episódios não estão sendo reproduzidos na internet por questões de direitos de imagens. Não deixe de assistir

Clica aqui Últimas Notícias